€172 milhões para promover produtos agroalimentares europeus dentro e fora da UE

€172 milhões para promover produtos agroalimentares europeus dentro e fora da UE

A Comissão Europeia vai disponibilizar fundos de 172,5 milhões de euros para promover os produtos agro alimentares da União Europeia, na Europa e em todo o mundo.

Durante os próximos três anos, serão realizadas 79 campanhas, abrangendo uma vasta gama de produtos, como os lácteos, azeitona e azeite e frutas e hortícolas.

O comissário europeu da Agricultura, Phil Hogan, declarou que «a Europa é conhecida em todo o mundo pela qualidade dos seus produtos alimentares e pelo seu património culinário. Os produtores da União Europeia (UE) podem contar com o apoio da Comissão Europeia par aos ajudar a dar a conhecer a elevada qualidade dos seus produtos dentro e fora da Europa. Tenho viajado por vários países do mundo, como a China, Japão, México ou a Colômbia, para abrir novos mercados aos nossos produtos. Estamos perante um grande potencial por explorar».

Dos 79 programas aprovados, 48 visam países terceiros. Alguns sectores de produtos também estão representados de forma significativa. Por exemplo, 23 programas são dedicados ao sector das frutas e produtos hortícolas. Outros sectores incluem o queijo e os produtos lácteos.

Este ano, foi afectado um montante total de 97 milhões de euros a «programas simples de promoção», apresentados por uma ou mais organizações proponentes do mesmo Estado-membro. Um montante adicional de 75,5 milhões de euros financiará «programas multi», que são apresentados por, pelo menos, duas organizações proponentes de, pelo menos, dois Estados-membros ou por uma ou mais organizações europeias. Os programas seleccionados abrangem candidatos de 19 países membros.

Através do convite à apresentação de propostas lançado em Janeiro de 2018, podiam candidatar-se ao financiamento um vasto leque de organizações, como organizações profissionais, organizações de produtores e organismos responsáveis por actividades de promoção no sector agro-alimentar.

Estas candidaturas foram seguidamente avaliadas e classificadas pela Agência de Execução para os Consumidores, a Saúde, a Agricultura e a Alimentação (CHAFEA) da UE, com a ajuda de peritos externos.

Fonte: Comissão Europeia/Agronegócios

Partilhe as nossas notícias